A configuração atual do trabalho apresentado pela Goiás Turismo começou a ser construída em 2014, a partir da concepção de um plano que fundamenta o desenvolvimento do Turismo no Estado por segmento. Para isso foi criado o programa Goiás Experiências Inesquecíveis, dando destaque às Experiências Gastronômicas, na Natureza, Criativas, Culturais e Empresariais. Para nortear, foi feito um planejamento de ações, eventos, criação de circuitos e promoção nacional e internacional dos nossos destinos turísticos.
Experiências

Experiências Inesquecíveis na Natureza

O Experiências na Natureza busca potencializar vivências diferenciadas nos produtos turísticos goianos que têm, como principal característica, o uso dos recursos naturais, mostrando o que há de mais bonito em nossos parques estaduais e unidades de conservação. O programa, que começou a ser executado no final de 2015, incentiva ações de melhoria da infraestrutura e sinalização dos atrativos para promover a visitação, sem deixar de lado a preservação do meio ambiente, que é o que atrai os amantes da vida ao ar livre.

A primeira Experiência na Natureza aconteceu no Parque Estadual da Serra de Caldas Novas. Parte do percurso feito pelos 130 ciclistas do evento se tornou trilha oficial. Já na semana seguinte ao passeio, a visitação ao Pecan teve um incremento de 300%. Tudo a partir da ideia de realizar uma expedição nas reservas ecológicas e transformar as trilhas em produtos turísticos permanentes, que podem ser oferecidos para gente de todo o mundo que ama esportes na natureza. As expedições aumentaram a frequência dos parques, o que impacta positivamente a economia, uma vez que a atração de visitantes gera emprego e renda, movimentando hotéis, restaurantes e o comércio no município.

As primeiras experiências foram realizadas em roteiros repletos de beleza natural do Estado, por lugares de tirar o fôlego como a Serra dos Caiapós, os parques estaduais de Terra Ronca e da Serra dos Pirineus, o Santuário Kalunga, o Parque Nacional Chapada dos Veadeiros, além da Serra de Caldas. Houve expedições de caminhadas, corridas, cicloturismo e mountain bike. Conhecer lugares pouco explorados e viver grandes aventuras ao ar livre, caminhando, correndo ou pedalando, conquistou atletas goianos e de outros estados.

O investimento está dando frutos. A visitação no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, por exemplo, que até 2012 era de 23 mil pessoas por ano, vem evoluindo e, em 2016, chegou a 63.933 convidados. O turista sabe que vai encontrar diversidade de fauna e flora, cachoeiras e trilhas em áreas preservadas, que exibem toda a exuberância do Cerrado, e oferecem a riqueza do nosso ecossistema.

Caminho de Cora Coralina movimenta a economia de cidades e povoados

Vista da cidade de Jaraguá

Vista da cidade de Jaraguá

O Experiências na Natureza, como um dos eixos de trabalho adotados pela Goiás Turismo, pesquisou participantes, criou roteiros integrados e trilhas de longa distância, que deram origem inclusive, ao Caminho de Cora Coralina. O produto foi o que mais cresceu em 2018, abrindo uma nova opção de lazer, movimentando o segmento de ecoturismo, promovendo a fusão do esporte com a natureza, com espaço para a contemplação da diversificada fauna e flora da região. São 300 km de travessia, que cruzam três unidades de conservação ambiental: os parques estaduais da Serra dos Pirineus, da Serra de Jaraguá e da Serra Dourada.

O percurso está totalmente sinalizado. O aventureiro que vai a cavalo, a pé ou de bicicleta de Corumbá de Goiás em direção à antiga capital, a cidade de Goiás, deve seguir as marcas pretas sobre fundo amarelo. Se for fazer a rota completa, vai passar por Corumbá de Goiás, Pirenópolis, Cocalzinho, São Francisco de Goiás, Jaraguá, Itaguari e Itaberaí até chegar na cidade de Goiás. Caxambu, Radiolândia, Vila Aparecida, Alvelândia, Palestina, São Benedito, Calcilândia e Ferreiro são os povoados que compõem o roteiro. Quem faz o caminho contrário, sentido Goiás-Corumbá, precisa seguir a sinalização que traz a pegada amarela sobre fundo preto.

Ao longo do trajeto, nas áreas de descanso e pontos de apoio, textos de Cora Coralina ajudam a unir poesia, história, natureza, arquitetura, folclore, gastronomia, enfim, a cultura local. Lojas, mercados, restaurantes, hotéis e pousadas nas cidades e povoados pelo Caminho de Cora Coralina garantem apoio ao turista. Foram cadastrados e mapeados, inclusive, locais alternativos para banho, por exemplo, oferecidos pelas comunidades à beira da estrada. A cada dia mais procurado por atletas, amantes da natureza e aventureiros, o Caminho de Cora Coralina assegura a acessibilidade dos parques estaduais de modo sustentável, aventura nas corredeiras, serras e cachoeiras, história e folclore.

Gastronomia e sustentabilidade estimulam vocações regionais

O Circuito Gastronômico Goiás foi criado pela Goiás Turismo em 2014, para unir e apoiar festas esparsas e ao longo desses anos proporcionou o Gastronômico Jaraguánascimento de deliciosos pratos, juntando nomes consagrados da culinária brasileira e internacional aos cozinheiros goianos. A sustentabilidade é sempre a palavra de ordem do Circuito, que busca fortalecer o que há de mais genuíno em cada região e promover a troca de experiências entre os restaurantes e chefs locais com os chefs nacionais e internacionais trazidos para os festivais.

Os festivais fizeram da gastronomia um diferencial para vários destinos turísticos de Goiás, atraindo ganhos culturais, sociais e econômicos. Totalmente consolidado, e crescendo a cada ano, o Circuito Gastronômico profissionaliza a cadeia produtiva, favorecendo trabalhadores, empresários e produtores da agricultura familiar. Os festivais incrementam a economia e geram empregos. Segundo a Secretaria estadual da Fazenda, a área de alimentos movimenta cerca de R$ 60 milhões anualmente.

As festas realizadas pelo Circuito Gastronômico Goiás ajudam na tarefa de valorizar os ingredientes e os talentos culinários de cada um desses lugares. Respeitam o alimento cultivado na região e suas peculiaridades, aproveitando os insumos dali, para apoiar o pequeno produtor, trabalhando os elementos, tradições, características e costumes locais. O Circuito tem levado mais de 100 mil pessoas aos festivais, o que faz esse público se deslocar pelo Estado, incrementando a economia das cidades que abrigam a festa e também os municípios vizinhos.

Capacitação qualifica cadeia gastronômica

Dentro das Experiências Empresariais, rodadas de negócios, oficinas e cursos capacitam os participantes do Circuito Gastronômico. As aulas ajudam na elaboração e montagem dos pratos, há qualificação para o aproveitamento de alimentos para as cozinheiras e merendeiras, capacitação e aperfeiçoamento para garçons, atendimento ao cliente e gestão de custos e financeira para os empresários. Para os empreendedores, há também uma mini consultoria sobre adequação do espaço e melhoria no design, além de ideias e dicas sobre a apresentação de seu ponto comercial.

Sebrae e Senac, parceiros da Goiás Turismo, ficam com a responsabilidade de ministrar cursos e promover debates dentro das rodadas de negócios. Eles cuidam da capacitação técnica da equipe de auxiliares, cozinheiros e também dos produtores rurais, empresários, proprietários de restaurantes, pousadas e outros estabelecimentos. Empresários participantes do Circuito e os produtores rurais se aprimoram para utilizar os produtos locais e fortalecer toda a cadeia produtiva da gastronomia.

Circuito do Conhecimento conscientiza comunidades sobre necessidade de preservar

Aumentar o conhecimento da comunidade sobre a importância dos seus atrativos naturais, promover uma troca de experiências e discutir o uso dos parques ecológicos e unidades de conservação do Estado como destinos turísticos e sua preservação. Esse debate e exposição de práticas reuniu empresários e gestores do Turismo em diversas regiões goianas, no Circuito do Conhecimento. Na programação, palestras voltadas para o ecoturismo e o Turismo de aventura, buscando conscientizar a população sobre a importância das áreas naturais como atrativos turísticos.

Circuito aumenta conhecimento sobre importância de preservar atrativos naturais

Circuito aumenta conhecimento sobre importância de preservar atrativos naturais

O Circuito do Conhecimento realizou simpósios em vários municípios, voltados para o direcionamento estratégico do Turismo em Goiás. Os debates envolveram entidades e pessoas ligadas ao setor, como agentes públicos, empresários e associações. Especialistas e consultores falaram sobre concessões públicas, novas perspectivas para o desenvolvimento regional no entorno dos parques, serviços, eventos de ecoturismo, Turismo de aventura e outros que podem ser desenvolvidos ao ar livre, acessibilidade para os atrativos naturais e cicloturismo como modalidade em ascensão.

O time de palestrantes levou informações às regiões e destinos turísticos do Estado. Encontros entre micro e pequenos empresários do setor da região Centro-Oeste, e rodadas de negócios com empreendedores e pequenos produtores locais, ensinaram sobre normas técnicas para o ramo de Turismo, novas perspectivas e tendências do mercado com relação às unidades de conservação, melhores formas de se estruturar as atividades como produtos turísticos a serem oferecidos, profissionalização dos serviços de infraestrutura dos atrativos, prestadores de serviços e guias, planejamento com os gestores municipais e políticas públicas para o Turismo do Estado. E, aproveitando a presença de gestores dos outros estados da região central do Brasil, os goianos iniciaram conversas para a criação de roteiros turísticos interestaduais integrados.

Criação do Circuito apoia as Cavalhadas de Goiás

As Cavalhadas são representações baseadas nas tradições de Portugal e da Espanha na Idade Média. O teatro é ambientado no século VIII, na região dos Pireneus, entre a Espanha e a França, simbolizando o combate entre o exército cristão de Carlos Magno e os muçulmanos da Mauritânia para decidir quem detinha a fé verdadeira. Durante séculos, essa história foi cantada por trovadores, até que no final do século XV Isabel I, a Católica, de Portugal, decidiu estabelecer unidade religiosa no reino de Castela e Leão, implantando o Catolicismo nas terras conquistadas. Uma das medidas foi criar uma festividade para incentivar o culto cristão.

Na capitania de Goiás, a mais antiga apresentação das Cavalhadas da qual se tem registro foi no arraial de Santa Luzia, atual cidade de Luziânia, no dia 6 de janeiro de 1751. As Cavalhadas foram implantadas nos municípios goianos do Ciclo do Ouro. Além da festa litúrgica, missa e novena, a celebração no período colonial origina os elementos culturais e religiosos da festa no Centro-Oeste brasileiro: Império do Divino, Entrada da Rainha e Cavalhadas. Elas unem religiosidade, cultura, turismo e economia, e valorizam o patrimônio imaterial do Estado.

O Circuito Cavalhadas de Goiás busca perpetuar a tradição e destacar o espetáculo nos municípios de Corumbá de Goiás, Crixás, Hidrolina, CavalhadasJaraguá, Luziânia, Niquelândia, Palmeiras de Goiás, Pilar de Goiás, Pirenópolis, Posse, Santa Cruz de Goiás, Santa Terezinha de Goiás e São Francisco de Goiás. A Goiás Turismo lançou, em 2017, o Circuito Cavalhadas Goiás. A iniciativa une, facilita, oficializa e sistematiza o apoio a essas manifestações de cultura e fé no Estado, e promove o Turismo a partir das festas religiosas, dando suporte às prefeituras e aos organizadores na realização das Cavalhadas nestes municípios.

A festa, que mistura elementos sagrados e símbolos pagãos, atrai milhares de turistas, que movimentam e enriquecem a economia local, incrementando as venda e gerando empregos. O trabalho da agência goiana de Turismo com a criação do Circuito, estabelece um elo entre os municípios que mantêm a tradição das Cavalhadas, preserva e incentiva a permanência da história, folclore e religiosidade do povo goiano. As nossas Cavalhadas são compostas por dois grupos de 12 cavaleiros, um deles vestido de azul, representando os cristãos, e o outro grupo trajando vermelho, simbolizando os mouros. Um momento emocionante é o batismo dos mouros, derrotados, por um padre, marcando a conversão deles ao Cristianismo.

Religiosidade e Turismo de mãos dadas pelo desenvolvimento de Goiás

O Circuito Celebrar é um programa criado pela Goiás Turismo para incentivar o Turismo religioso, principalmente nas cidades onde são fortes a tradição e a busca pelo divino. O Circuito ajuda a cultuar a religiosidade, levando shows de qualidade a um público fiel. As apresentações de grupos de renotrindademe no Estado e no país estimulam o louvor e a adoração a Deus e a devoção aos santos padroeiros.

Aparecida de Goiânia, Caldas Novas, Cocalzinho de Goiás, Corumbá de Goiás, Itaberaí, Itapuranga e Goiânia se beneficiaram das apresentações de bandas e cantores. Festas centenárias como a Procissão do Fogaréu da cidade de Goiás, a Festa do Divino Pai Eterno em Trindade e as Cavalhadas na Festa do Divino Espírito Santo em vários municípios receberam suporte do Governo do Estado. Missas ao ar livre e palcos montados ao lado da igreja para os shows atraíram turistas às cidades históricas e de tradição religiosa mais arraigadas, estimulando as expressões de fé do povo goiano.

Além dos devotos dos santos celebrados nos dias de festa, buscando manifestações que misturam cultura e fé, os visitantes chegam interessados na arquitetura, museus, igrejas, folclore, culinária, artesanato, pontos turísticos e nas belezas naturais próprias de cada região, movimentando o comércio e propiciando geração de emprego e renda ao município.

Casa do Turismo vai unir cultura, memória e apoio ao visitante

A reconstrução do prédio para abrigar a Casa do Turismo de Goiás é a realização de um sonho de todo o pessoal ligado ao Turismo no Estado. A entrada fica na Rua 30, no Centro, bem em frente ao Centro de Cultura e Convenções de Goiânia, e ocupa todo o quarteirão: avenidas Tocantins e Paranaíba e a Rua 4. Foram investidos R$ 2,047 milhões na reconstrução. A obra começou em 15 de dezembro de 2017 e foi preciso refazer grande parte do imóvel.

O prédio em si, preservando seu estilo arquitetônico original Art Déco, e pelos serviços oferecidos, tem tudo para se tornar uma atração. O fato de agregar uma série de utilidades em uma edificação histórica é um diferencial. O principal objetivo da Casa do Turismo é consolidar em um só espaço todas as experiências que o viajante possa buscar no Estado. A Casa, novo lar do Turismo goiano, vai oferecer atendimento em várias áreas que o visitante pode precisar: empresas de viagens, operadores, agentes receptivos e locadoras de veículos. Lojas de artesanato, presentes e lembranças de Goiás também vão funcionar no local. A previsão é de que alguns departamentos da Goiás Turismo sejam transferidos para o novo endereço.

Haverá também sala para mapas, projeções de filmes e vídeos e exposições de fotos, tudo com foco nas belezas naturais de Goiás. Nas paredes, informações turísticas, quadros e exposição de fotografias de eventos que chamam a atenção e atraem visitantes para o Estado, como a Catira, as Congadas, a Procissão do Fogaréu e as Cavalhadas. O visitante da Casa do Turismo vai encontrar informações sobre os melhores passeios em diferentes cidades do Estado e já vai conhecendo a sensação de estar em meio ao Cerrado, em uma trilha, cachoeira ou rio. No Centro de Atendimento, o CAT, o turista pode começar a ensaiar a viagem e ter acesso à comercialização dos destinos.

A Casa tem ambientes reservados para o Memorial do Turismo, o Centro de Tecnologia e Informações do Turismo, a Academia Goianiense de Letras e um miniauditório para cursos de capacitação e palestras. E uma praça de alimentação, onde lanchonetes e bares servirão comidas típicas em mesas instaladas na parte externa do prédio, em torno de um palco para apresentação de artistas, palestras e aulas-show, dando destaque à nossa culinária e promovendo e qualificando o profissional goiano. Ou seja, além de apoiar cidadão e o turista, a Casa vai ser uma vitrine da cultura e da memória do Turismo no Estado e dar suporte às entidades do Trade Turístico goiano.

Eventos atraem milhares para Goiás

O Turismo de eventos movimenta o Estado e, consequentemente, a economia goiana. Pensando nisso, e em oferecer opções gratuitas e de qualidade ao público, o Governo de Goiás realiza festas específicas, como o Arraiá do Cerrado, o Réveillon e o Aruanã EmCanto. São oportunidades para que as pessoas vejam de perto seus artistas favoritos, garantindo cultura e lazer de graça para o goiano e para quem mais quiser, fazendo esses turistas se deslocarem pelo Estado e levando dezenas de milhares de visitantes ao local do evento.

Réveillon – festa da virada já virou tradição em Goiânia

Goiânia, que tem como principal característica o Turismo de eventos e negócios, tem sua vocação reconhecida pela Goiás Turismo, que promove, réveillontodos os anos, um grande Réveillon na capital, seguindo a tendência mundial de atração de turistas através da realização de eventos culturais. A festa, que arrasta multidões, anima a programação de fim de ano, dá visibilidade e traz divisas para o Estado. Shows musicais com artistas de renome – goianos e nacionais – e a tradicional queima de fogos à meia- noite já são esperados pela população, sempre brindada por um belo espetáculo pirotécnico.

Cada real investido em Turismo volta em dobro para os cofres estaduais através dos impostos arrecadados, de acordo com os dados. Segundo o Goiânia Convention & Visitors Bureau, a festa da virada do ano atrai grande público que, além de engrandecer a cidade e o Estado, movimenta toda a cadeia do Turismo, tanto diretamente, quanto indiretamente e não só Goiânia, mas Goiás inteiro ganha com esse fluxo. O trade turístico goiano acredita que o Réveillon na capital virou tradição e que é preciso que essas datas fiquem marcadas no calendário de Goiânia, um trabalho de passo a passo, que a Goiás Turismo tem feito muito bem há anos, segundo lideranças do trade, garantindo alegria com segurança para o público.

Arraiá do Cerrado valoriza a cultura

Arraiá quadrilhaCom uma programação que privilegia as tradições culturais goianas, o Arraiá do Cerrado é realizado todos os anos no mês de junho ou julho. O Arraiá é uma festa junina aberta, com uma estrutura gigantesca montada pela Goiás Turismo, preparada para toda a família, com base em elementos do nosso folclore, que garante alegria e diversão ao público, de graça. Com decoração temática, bandeirolas, balões e fogueira, o pessoal faz fila nas barracas de comidas e bebidas típicas dessa época do ano.

Há um palco para apresentação das bandas locais, outro para a atração principal, um parque de diversões itinerante e, é claro, a pista de dança onde os grupos de quadrilha se apresentam no concurso que elege os melhores quadrilheiros do ano. As dezenas de milhares de pessoas presentes a cada noite prestigiam a dança e torcem por seu grupo preferido. Elas também têm interesse nas oficinas de dança, na gastronomia, na queima de fogos de artifício e nos shows de humor que animam o público nos intervalos.

Aruanã EmCanto movimenta o Vale do Araguaia

O Aruanã EmCanto é um evento que leva música de qualidade ao Vale do Araguaia, aumenta o fluxo de turistas na região, oferece cultura, lazer e Aruanã EmCanto 1entretenimento e, ao mesmo tempo, gera novas fontes de renda aos moradores. Já na primeira edição, em 2014, a movimentação foi de mais de 60 mil pessoas se divertindo, desfrutando da culinária local, conhecendo a cidade banhada pelo Rio Araguaia e incrementando a economia regional durante o festival.

A intenção inicial do Aruanã EmCanto era usar a música para divulgar as belezas do Vale do Araguaia e despertar no goiano o interesse em conhecer Goiás, viajar pelo Estado descobrindo as maravilhas naturais. Mas o festival deu espaço a novos talentos com a criação do prêmio Minha Arte EmCanto, que seleciona artistas para abrir os shows nacionais por votação na internet, e contabilizou mais de 100 mil votos, vindos de todo o Brasil e de outros 17 países.

O festival tradicionalmente reserva uma noite para a música sertaneja, outra para o pop e o rock, e uma terceira é dedicada à MPB. A Orquestra Jovem de Goiás acompanha os músicos regionais e, ao final das apresentações, que chegam a atrair uma plateia de 25 mil pessoas a cada dia, acontece uma queima de fogos. O apoio do governo estadual passa também pela criação de infraestrutura, com a recuperação e conservação das rodovias que dão acesso aos municípios; a segurança da população e dos visitantes e no uso responsável dos recursos naturais.

O município de Aruanã é um exemplo de que os investimentos na implementação do Turismo podem transformar a economia de uma região. Entre 1999 e 2011, o Produto Interno Bruto de Aruanã saltou de R$ 18,5 milhões para quase R$ 90 milhões. O PIB per capita, no mesmo período, foi de R$ 3,2 mil para R$ 11,5 mil. O setor de serviços, que abarca o Turismo, cresceu quatro vezes, de R$ 10,1 milhões para R$ 46,4 milhões, nesse mesmo intervalo de tempo, na composição do PIB do município.

Mapa Turístico colabora com a promoção dos destinos

Mapa-Regionalizacao-2017O Mapa do Turismo Brasileiro é um instrumento de orientação para a atuação do Ministério do Turismo na implantação de políticas públicas, tendo como foco a gestão, estruturação e promoção do Turismo de forma regionalizada e descentralizada. O Mapa destaca os municípios que adotam o Turismo como estratégia de desenvolvimento e norteia o planejamento para o setor. A integração ao Mapa Turístico traz visibilidade e significa crescimento econômico e humano, ao estabelecer uma ponte direta com os órgãos estaduais e nacionais da área.

Em todo o Brasil, o Mapa do Turismo é composto por 3.285 cidades em 328 regiões turísticas. No Centro-Oeste, são 225 municípios. Para formalizar a entrada ou permanência de seu município no Mapa é preciso atender a algumas exigências, como comprovar a existência de um órgão oficial de Turismo na unidade e aderir ao Programa de Regionalização do Turismo. Goiás, que em 2016 tinha 49 cidades beneficiadas, emplacou 83 municípios no Mapa 2017-2018. São dez regiões turísticas e nove delas ganharam novos integrantes.

Comprovando que o Turismo gera riquezas, pesquisas indicam que a criação da Região Turística da Estrada de Ferro – a última a surgir – gerou empregos na atividade turística, um número crescente de formalização de empresas vinculadas ao setor, a taxa de ocupação hoteleira subiu e houve melhora dos aspectos cultural, econômico e social. Estudos mostram o crescimento da arrecadação de tributos estaduais no território da Estrada de Ferro. O grupo de municípios trabalha em conjunto para impulsionar a integração turística e cultural da região.

Cadastur – número de registros cresce com a modernização do sistema

Os profissionais e empresas que compõem a cadeia turística, como meios de hospedagem e estabelecimentos de eventos, parques temáticos, transportadoras, agências, guias e acampamentos, todos têm que estar registrados no Cadastur. Executado pelo Ministério do Turismo, em parceria com os estados, o Cadastur oferece vantagens e oportunidades de negócios, incentiva a participação em programas do governo federal, apoia eventos e qualificação profissional e facilita o financiamento pelos bancos oficiais.

O trabalho que a equipe do Cadastur da Goiás Turismo vem fazendo há anos passa pela sensibilização do pessoal que atua no Turismo no Estado. De acordo com a Regional de Goiás, a mudança do Cadastur 2.5, que funcionou até 2017, para o Cadastur 3.0 neste ano, moderno e simples, facilitou o registro e aumentou o número de cadastros. No ano passado, foram feitos 399 cadastros novos e, de janeiro a dezembro, 437 foram renovados. Em 2018, apenas de março a novembro, já com o novo sistema, foram 515 novos cadastros e 373 renovações.

O cadastro, que é de graça, busca organizar, formalizar e legalizar a atuação dos prestadores de serviços turísticos. Quem está registrado tem mais visibilidade, já que o site do Cadastur funciona como um banco de profissionais e empresas de Turismo do Brasil. Quem busca serviços turísticos de qualidade, ao acessar ao endereço eletrônico encontra uma fonte de consulta de confiança. O resultado é uma atividade cada vez mais formalizada, o que beneficia a economia e traz mais segurança para o turista.

Observatório do Turismo

O Estado possui o Observatório do Turismo, que funciona a pleno vapor o ano todo como parte integrante da Goiás Turismo. O Observatório do obsTurismo produz estudos de campo, levantamentos de dados, pesquisas de demanda, perfil e satisfação, inventários da oferta turística, compila e analisa dados, fornece a movimentação dos aeroportos e rodoviárias, arrecadação de impostos pela cadeia turística e boletins de ocupação hoteleira, pesquisas bibliográfica, documental e de mercado, além de avaliações do impacto econômico de eventos.

A metodologia e as técnicas utilizadas servem de referência para institutos semelhantes do Brasil e de fora também. Pesquisadores de uma universidade de Moçambique estiveram no Estado para conhecer o trabalho. A atuação do Observatório do Turismo é pautada pelas pesquisas quantitativas e qualitativas realizadas em eventos do Governo de Goiás, particulares e alternativos, que servem de base para a produção de relatórios, artigos científicos, publicações e apresentações em congressos nacionais. Apenas de 2015 a 2018, o Observatório do Turismo fez 189 pesquisas e levantamentos nos mais diversos eventos e municípios goianos, que ajudam a basear estudos e políticas públicas para o setor.

Fornatur

O Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo é um colegiado formado pelos secretários e outros dirigentes de Turismo nos estados. O grupo se reúne, de forma voluntária e informal, para deliberar sobre os temas relevantes do Turismo, incorporando as demandas estaduais, regionais e nacionais, trazendo para o debate o pensamento e as ações desenvolvidas nas unidades da federação. O Fornatur atua, junto com o Conselho Nacional do Turismo, como órgão de assessoramento ao Ministério do Turismo, na discussão dos principais programas e projetos para o setor e na elaboração e implantação das políticas do Plano Nacional do Turismo.

Sempre debatendo o Turismo com líderes da área em todo o país, o Fornatur apresentou uma plataforma de estratégias e medidas para o desenvolvimento da cadeia produtiva do Turismo nacional. A primeira delas é a defesa de maior orçamento oficial para o Turismo, que vem caindo a cada ano. O Fórum reivindica promoção nacional e internacional das belezas do Brasil, incentivo para a aviação regional, defende a liberação dos cassinos e uma política nacional de gestão, regionalização e descentralização do Turismo. O Fornatur destaca ainda a necessidade de um Plano de Comunicação e Marketing para dar publicidade às ações na imprensa e o uso de inteligência digital, com incremento do site, ampliando o espaço para os dirigentes estaduais divulgarem seus programas e ações.

Voucher digital

O ingresso digital chegou ao Turismo goiano para ficar. Ele dá acesso aos atrativos e pode ser adquirido antecipadamente pela internet, computador voucher digitalou smartphone, ou nas agências de viagens. A cidade de Pirenópolis adotou o sistema, que desburocratiza e garante ao turista que o local escolhido para passar o fim de semana, desfrutar de um feriado ou descansar nas férias será sem tumultos. O voucher digital é um documento que comprova o pagamento e assegura o direito a um serviço ou produto. É a confirmação da reserva, seja do hotel, do passeio, a entrada, o transporte.

A Goiás Turismo, investindo na modernização do setor, adquiriu uma ferramenta para emissão de comprovante digital, que foi oferecida para a Associação dos Atrativos Turísticos de Pirenópolis. Para comprar o bilhete eletrônico, a pessoa precisa fazer um cadastro on-line. As informações alimentam um banco de dados que vão ajudar os gestores, tanto do município quanto da agência goiana de Turismo, a definir ações futuras.

Os ingressos para cachoeiras, reservas ecológicas, parques, chácaras e fazendas que recebem turistas podem ser comprados pelo sistema digital. Com isso, o visitante não corre o risco de perder a viagem ao chegar em um atrativo natural e encontrar o local superlotado. O viajante que tenta adquirir a entrada para um passeio muito procurado naquele dia, não consegue, porque o sistema detecta que a capacidade do ponto turístico está completa e não emite novos convites. Com isso, é melhor recebido, já que os agentes locais saberão quem é cada convidado e a configuração do grupo, usando as informações para melhorar o atendimento e sabendo até os nomes das pessoas.

O voucher digital abre a possibilidade do hóspede fechar um pacote e sair para passear sem preocupações, adquirindo, juntos, a entrada, o transporte e a alimentação, por exemplo. E com a garantia de que vai chegar no atrativo e entrar, porque acontece, na alta temporada, do hóspede se deslocar 30, 40 quilômetros até o destino e encontrar o lugar cheio, frustrando a expectativa. Várias cidades turísticas já solicitaram à Goiás Turismo o acesso ao voucher digital, já que o sistema vem mostrando ser um sucesso total.

O novo sistema também beneficia a gestão dos pontos turísticos. A administração é municipal, compartilhada com a Goiás Turismo, que vai desenhar o perfil dos visitantes: quem são, de onde, qual a época do ano preferida, construindo um banco de dados para informar, por exemplo, quanto cada atrativo vendeu, contribuindo com o desenvolvimento econômico local. O trabalho facilita ainda o relacionamento com parceiros, agências e transportadores, ligando-os diretamente aos agentes prestadores de serviço do município.

Obras garantem infraestrutura e segurança para receber mais turistas

Para o Turismo crescer e alavancar o desenvolvimento de uma região, é preciso criar infraestrutura, com serviços, ações e obras que possam estimular a chegada de quem busca lazer e diversão na nossa gastronomia, natureza, cultura, tradição, religiosidade, folclore e misticismo. A Goiás Turismo tem

Terminal Rodoviário de Colinas do Sul

Terminal Rodoviário de Colinas do Sul

convicção de que o turista precisa vir a Goiás, visitar cidades e pontos turísticos e sair com vontade de voltar, divulgando positivamente os nossos produtos e destinos.

Para garantir que a estada seja agradável e confortável, o Governo de Goiás tem se empenhado em fazer obras e intervenções que levem a infraestrutura necessária para dar segurança e acolher bem o turista em nosso Estado. Nos últimos quatro anos, foram investidos de R$ 36 milhões para incentivar a visitação em todas as regiões goianas. Municípios com vocação para o Turismo, como Cocalzinho e Aragarças, tiveram avenidas asfaltadas, revitalizadas e iluminadas, assim como aconteceu em Padre

Orla do Lago de Vicentinópolis foi revitalizada

Orla do Lago de Vicentinópolis foi revitalizada

Bernardo, Carmo do Rio Verde e Nova Crixás. Matrinchã e Colinas do Sul ganharam Terminais Rodoviários novinhos!

Caldas Novas recebeu obras no sistema que amplia a capacidade de distribuição de água tratada e do reservatório, que vão garantir o fornecimento aos moradores e turistas que lotam a cidade em determinados períodos do ano. Mozarlândia, Uruaçu e Acreúna têm agora seus parque ecológicos e Buriti Alegre conquistou uma pista de caminhada. A Orla do Lago de Vicentinópolis foi revitalizada. Gameleira e Mundo Novo obtiveram espaços para eventos. Esses são apenas alguns exemplos pelo interior do Estado. E, na capital, a maior obra, sem dúvida, foi a reconstrução da Casa do Turismo de Goiás.